Novos produtos

Scott Ransom

Publicado : 2020-01-20 18:05:02
Categorias : Notícias

 Quando a Scott Ransom foi apresentada não consegui ficar indiferente, as linhas da bicicleta associadas ás caracteristicas apresentadas já me faziam sonhar com novos "voos" nesta máquina!

Em Maio de 2019 decidi avançar num projeto customizado que me permitisse testar os limites desta bicicleta dando-lhe um toque próprio. O resultado é uma bicicleta que encaixaria melhor na categoria "Freeride" do que na categoria de "Enduro" para a qual a bicicleta foi desenhada. Primeiras conclusões? A Ransom impressiona! Queres conhecer este projeto e as conclusões principais sobre o chassis desta máquina? Continua a ler! 

A evolução:

 

2019 marcou o retorno da Scott Ransom. Para os amantes da Scott este nome icónico não passou despercebido, em 2006 antes do "Enduro" ser considerado uma disciplina, a Ransom já tinha intenções de subir com eficiência e descer sem limites. Nesta altura o quadro em carbono, 160 mm de curso e um sistema de amortecimento "pull shock" fizerem virar muitas cabeças provando-se um sucesso de vendas.

 

Como todos sabemos a evolução no mundo das bicicletas não pára e neste caso foi a evolução continua da Scott Genius (150mm de curso nas versões mais recentes) que fez a Ransom cair do catálogo Scott até o aparecimento desta nova versão.

 

Os 13 anos de diferença são evidentes, rodas 29, espigões telescópicos, mudanças 1x12, geometria mais longa, "aberta" e baixa, avanço mais curto, guiador mais largo e mais 10mm de curso num novo sistema de amortecimento. Somam-se assim uma lista de evoluções claras que posicionam a Scott Ransom na frente da corrida no que toca a bicicletas pedaláveis que são capazes de destruir qualquer descida.

 

A Ransom surge assim para colmatar novamente o espaço entre a Scott Genius e a Scott Gambler, um espaço reservado para uma bicicleta que teria que descer quase como uma bicicleta de Downhill e subir como uma bicicleta de trail.

O projeto:

                                                                  

O projeto iniciou-se com uma tímida Scott Ransom 930, a opção mais em conta que me iria permitir fazer uma montagem customizada. De base agradou-me a cor do quadro, preto com verde "tropa" e detalhes laranja anteviam uma bicicleta alinhada com os componentes que tinha já preparados para fazer uma revisão total à bicicleta e aproveitar ao máximo o seu potencial.

 

Referi acima que o resultado seria mais "Freeride" do que "Enduro", definição importante para compreender esta montagem. O background do Downhill e a falta de intenção em fazer provas de Enduro com esta bicicleta alinharam um objetivo claro, uma montagem que explorasse ao máximo a personalidade "hardcore" da Ransom mantendo a capacidade de subir tranquilamente sem pensar em tempos de ligação entre "PECs" associados ás provas de Enduro.

O resultado:

     

A personalidade da bicicleta alterou totalmente com a saída das suspensões básicas de origem com o sistema twin-lock e a entrada de uma suspensão Marzocchi Z1 e um amortecedor RockShox Super Deluxe. Os pneus Schwalbe Magic Mary (favoritos por experiência) garantem tração ilimitada em 95% dos terrenos. Esta combinação é perfeita para melhorar a capacidade de descida de qualquer bicicleta de Enduro ou Trail.

O guarda lamas integrado da Syncros leva nota positiva pela simplicidade do design e pela integração que proporciona. (Disponível para suspensões Marzocchi e Fox)

O espigão telescópico Syncros manteve-se na bicicleta pela eficiência de funcionamento tal como o selim Syncros de origem que se revelou bastante confortável.

Especificações:

 

Pela lista de componentes são percetiveis as intenções desta ransom customizada que apesar de ter pneus de downhill e de ter quadro em alumínio pesa pouco mais que 15kgs. Neste projeto ficou por trocar o conjunto Sram NX (Com uma cassete com 650 gramas seria facil reduzir o peso da bicicleta) mas considerando as intenções da mesma não achei necessário até a transmissão demonstrar desgaste suficiente para ser trocada.

 

O cockpit com um avanço de 45 mm e um guiador com 38 mm de rise ajudam a subir a frente para a posição agressiva que era desejada.

 

Os mais atentos já repararam neste ponto da leitura que este projeto ficou concluido com uma roda 27.5 atrás. Esta opção que surgiu por diversas razões:

  • Em primeiro lugar porque, associado ao facto de poder colocar o amortecedor no modo "alto", esta alteração permitiu puxar mais uns "pozinhos" da personalidade "hardcore" da Ransom, face a posição "baixa" original (geometria no gráfico a baixo). O resultado foi um centro pedaleiro 10mm mais baixo e um angulo de direção com menos 0.5 graus, consequência obvia foi a abertura de 0.5 graus no ângulo de selim afectando a pedalada que tal como referi não seria a prioridade neste projeto.
  • O segundo motivo para usar a roda 27.5 atrás prende-se com o estilo de condução. Com 1,78m a roda 29'' atrás não liga com o estilo de andamento que uso "sobre a roda traseira" resultando em contactos constantes com o pneu. Esta questão tem vindo a ser explorada por vários pilotos de Downhill na taça do mundo levando vários pilotos a concluir que os benefícios da roda 29'' atrás não superam os 4 cm de mobilidade que são perdidos.
  • Adicionalmente a roda 27.5 atrás permitiu atingir o compromisso que pretendia entre peso e rigidez na traseira da Ransom.

 

 

No final o resultado é uma geometria extremamente equilibrada com a confiança que proporciona nas descidas mais complicadas sem ser "preguiçosa" em terreno menos inclinado. A possibilidade de ajustar a posição do amortecedor entre "alta" e "baixa" permite ajustar a personalidade da Ransom ao tipo de andamento o que é uma boa adição ao design do quadro.

Em parceria com a geometria da Ransom está o sistema de suspensão que surpreende pela positiva. O 4-link design tão utilizado na industria das bicicletas está extremamente bem utilizado na Ransom. Uma curva de amortecimento bem desenhada e progressiva dão a esta bicicleta a capacidade de ter a sensibilidade para encontrar tração e conforto em qualquer trilho ao mesmo tempo que é mantido o controlo nos maiores saltos. Na minha opinião pessoal este sistema de amortecimento está desenhado na perfeição e apenas um amortecedor mal afinado possibilitaria esgotar o curso traseiro da Ransom que acaba sempre por pedir mais do piloto. Estas características da Ransom têm no entanto um ponto menos positivo, toda a sensibilidade inicial não é a maior amiga da eficiência em subidas justificando o sistema twin-lock para os amantes das descidas que tambem querem uma bicicleta super eficiente a subir.

A construção do quadro só merece criticas positivas, apesar do quadro ser em alumínio o compromisso entre peso e rigidez é notável. A zona do pivot principal é larga e bastante reforçada, não ficam dúvidas sobre as intenções da bicicleta. Esta rigidez é notável em curvas de alta velocidade, esta mini bicicleta de Downhill não fica timida quando o terreno é mais adequado a uma verdadeira bicicleta de Downhill como a Scott Gambler.

A pintura desta ransom 930 é espetacular ao vivo e encaixa perfeitamente com este projeto "freeride" ainda assim esta não é a pintura mais resistente e aconselha-se proteger devidamente o quadro nas zonas mais propicias a impactos de pedras.

Nota bastante positiva para a Marzocchi Z1 (tambem em teste) e prova de que a FOX está a fazer um excelente trabalho a revitalizar a Marzocchi. Simples e eficaz são as características que melhor descrevem esta suspensão.

Uma breve referência ao sistema twinloc:

O Sistema twinloc da Scott permite 3 posições conjuntas entre o amortecedor e suspensão através de um manipulo no guiador. 1- Totalmente "aberto", 2-intermédio (com redução para 120 mm do curso traseiro) e 3- totalmente bloqueado.

Este sistema é extremamente benéfico para dar à Ransom uma personalidade trepadora e os benefícios para ligações em estrada inclinada são claros mas ficam as duvidas do bloqueio total em terra considerando o detrimento em tração. Adicionalmento o "twinloc" poderia ser na realidade um "singleloc" na Ransom, as subidas feitas nesta bicicleta são feitas em cima do selim e não sobre a frente como em algumas situações de xc, neste sentido o bloqueio da suspensão não adiciona vantagens e apenas mantêm a frente alta quando seria benéfico para a geometria das subidas se a suspensão estivesse no seu ponto de "sag".

Considerando estas conclusões sobre o sistema twinloc e o objetivo deste projeto personalizado foi tomada a decisão de esquecer o sistema e avançar com o suspensão e amortecedor que foram escolhidas.

Fica a ressalva de que esta opinião sobre o twinloc se reflete apenas sobre a Ransom. Numa bicicleta como a Scott Spark o sistema faz todo o sentido. Para os amantes do Enduro puro o twinloc trará claramente benefícios nas ligações entre PECs e caso pretendam retirar o efeito bloqueador da suspensão bastará retirarem o cabo que faz o sistema trabalhar em simultâneo. Nesta configuração ("singleloc") na qual testei a bicicleta durante alguns meses a Scott Ransom tem uma posição de subida excepcional para uma bicicleta de Enduro.

 

A subir:

Subir com 170 mm de curso parecia uma impossibilidade no passado. Lembro-me da minha primeira bicicleta de "freeride" com exatamente o mesmo curso, uma Kona stinky de 2006 em que as subidas eram feitas a pé e não em cima da bicicleta. Com quase 5 kgs a menos, uma boa geometria e mudanças Sram 1x12 a Ransom é um exemplo claro da evolução sentida nos ultimos anos. Agora é possivel subir com uma bicicleta que está cada vez mais próxima de uma verdadeira máquina de Downhill quando chega o momento de utilizar a gravidade para ganhar velocidade.

Nesta configuração a Ransom é uma trepadora calma, cumpre com a sua tarefa sem ser excepcional, algo natural considerando o foco da montagem. Em teste da Scott Rasom 900 tuned (modelo topo de gama) as conclusões são diferentes. Revela-se o verdadeiro potencial de uma bicicleta com 170 mm de curso que sobe como uma bicicleta de trail. Com menos 2kg e o twinloc no modo intermédio a scott ransom 900 tuned é excepcional a subir justificando assim o seu valor para os utilizadores que procurarem este tipo de performance.

  

A descer:

Espigão telescópico para baixo e começam as descidas... na realidade é o momento pelo qual esperamos em cima da bicicleta e é aqui que a scott ransom brilha!

Com este setup mais agressivo apenas consigo comparar a ransom ás bicicletas de downhill que tive no passado, basta apontar e continuar em frente. A ransom transmite o tipo de confiança que esperava quando este novo modelo foi lançado. Ficava uma duvida, teriamos agora uma bicicleta tão capaz nas descidas que iria perder capacidades quando os trilhos não fossem tão inclinados, e as curvas fossem mais apertadas? Locais onde a agilidade é mais importante do que a capacidade de absorver as irregularidades do terreno ou a tração?

Felizmente esta bicicleta cheia de personalidade mantém a vida mesmo quando não estamos no limite da velocidade, abrindo o leque de utilizadores que podem disfrutar da scott ransom.

Link original: https://www.instagram.com/p/B6-Smt_nMf4/?utm_source=ig_web_copy_link

São de realçar as capacidade que a scott ransom tem de atacar curvas em velocidade e de levantar voo com facilidade em qualquer rampa. Nestas situações o excelente sistema de amortecimento ganha vida!

Para concluir o teste das capacidades de descida da scott ransom não faltou um dia no bikepark de Ponte de Lima. Com pistas rápidas e longas, com bastante pedra e saltos à mistura este bikepark é o local ideal para testar as verdadeiras capacidades de uma bicicleta no que toca ás descidas.

A Ransom foi capaz de enfrentar este terreno sem hesitação realçando o excelente sistema de amortecimento e a geometria bem pensada que possui. Saltar e cruvar são um prazer na Ransom:

                                                                                                     

Link original: https://www.instagram.com/p/B7PNI6WH0yr/?utm_source=ig_web_copy_link

Conclusão:

A scott ransom está de volta com argumentos de peso! O sistema de amortecimento é excepcional e a geometria base está no ponto. Com a possibilidade de ajustar a geometria a diferentes estilos de andamento é tambem super versátil. . Para os amantes das descidas uma montagem do género desta 930 permite criar uma bicicleta de downhill pedalável. O quadro da ransom nunca será um fator limitador nos teus rides! Para os amantes das provas de Enduro a Ransom permite criar um setup completamente virado para a competição poupando a energia nas ligações com a sua excelente capacidade para subir e destruindo as descidas quando o cronómetro começa a contar.

Escrito por Miguel Tavares

Podes acompanhar as próximas aventuras desta Ransom em:

https://www.instagram.com/miguel.mtb.tavares/

Partilhar este conteúdo

Ver todos os comentários (1)

Nelson Zornitta


2020-02-07 16:53:45

Obrigado pela análise. Saberia dizer quão largo pode ser o pneu traseiro 27.5?

Adicionar um comentário

 (com http://)